Giro do Vale

Giro do Vale

domingo, 16 de junho de 2024

Estado pagará mais de 50% do valor da dívida com os hospitais

Os Hospitais Filantrópicos do Estado aguardam, até amanhã, 13, o recebimento de R$ 145 milhões do Estado, sendo R$ 72 milhões em incentivos e R$ 73 milhões à produção hospitalar, referentes ao mês de fevereiro. O valor foi prometido pelo governador Sartori, durante reunião na última terça-feira, 10, no Palácio Piratini, em Porto Alegre, com a Federação das Santas Casas.

Porém, cerca de R$ 40 milhões relativos ao Incentivo de Cofinanciamento da Assistência Hospitalar (Ihosp) de outubro e novembro de 2014, em todo o Estado, ainda não foram e nem tem previsão para serem repassados. “A cada R$ 100 de custo do hospital nos procedimentos de média complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS), apenas R$ 60 chegam aos cofres, o que gera um déficit anual de R$ 404 milhões aos hospitais estaduais. Para tentar equilibrar esta conta, o Estado nos repassava este incentivo, que agora nem cogitado não é”, reclama o presidente do Sindicato dos Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Vale do Taquari, André Lagemann.

A média complexidade refere-se ao tratamento de doenças respiratórias, partos, exames de Raio-X, exames de análises clínicas, internações pediátricas, entre outros. “É o dinheiro que nos falta para garantir estes procedimentos. Pelo visto, a partir deste ano, este valor já não será mais repassado”, lamenta. Ele explica que através da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do RS, cerca de R$ 300 milhões, referentes ao Ihosp, já estariam garantidos – ou seja, R$ 25 milhões por mês, que são distribuídos entre todas as entidades hospitalares do Estado.

Sem recursos

Outros R$ 92 milhões, referentes a serviços prestados, como consultas, exames e demais internações, também são aguardados, e não foram abordados na reunião. Conforme o secretário estadual da Saúde, João Gabbardo, não há recursos suficientes na pasta para cumprir com todas as demandas. A alternativa seria a realocação de recursos com outras secretarias. Sartori apenas disse que irá destinar 12% do orçamento para a saúde, conforme já prometido, e que irá seguir um calendário regular de pagamentos.

Saiba mais

Somente no Hospital Bruno Born (HBB) de Lajeado a dívida já chega a R$ 3,7 milhões. Destes, R$ 2,7 milhões são referentes somente ao déficit do ano passado, sendo R$ 675 mil referentes ao Ihosp de maio, outubro e novembro; R$ 121 mil de outros incentivos de novembro, usados para a manutenção do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Saúde Mental, Gestante de Alto Risco e Leitos de UTI; R$ 225 mil da Organização de Procura de Órgãos e de Tecidos (Opos), não pagos desde junho de 2014; e R$ 1,7 milhão de produção realizada e não remunerada. O outro R$ 1 milhão é referente aos serviços de janeiro e fevereiro deste ano, no total de R$ 490 mil, cada.

Repasses

R$ 145 milhões serão repassados
R$ 132 milhões não tem previsão
Total: R$ 277 milhões

Jornal O Informativo
Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também