Giro do Vale

Giro do Vale

terça-feira, 18 de junho de 2024

Trio suspeito de ataque a banco em Teutônia é preso na Capital

Foto: Polícia Civil / Divulgação

Foto: Polícia Civil / Divulgação

Três homens que teriam envolvimento no arrombamento de um caixa eletrônico com uso de maçarico em Teutônia, no último sábado, dia 22, foram presos pela Polícia Civil, em Porto Alegre. Jhonatas Coutinho (28), Éverton Potter (26) e Alex Correa (19), todos de Joinville-SC, foram localizados em uma casa no bairro Passo das Pedras, na zona norte da Capital. Com o trio, foram apreendidos um automóvel Uno de Joinville, um Gol de Florianópolis, maçarico, ferramentas, cartões bancários em nome de outras pessoas e roupas.

Os detidos negaram envolvimento. O dinheiro levado de uma agência do Banco do Brasil do bairro Languiru, não foi encontrado. As prisões teriam evitado outros dois ataques no Vale do Taquari, segundo a polícia. Ainda conforme o policiamento, Jhonatas Coutinho já tinha sido preso em flagrante em maio de 2011, em Rio Pardo, ao arrombar uma agência do Banrisul e também é suspeito de ataque a caixas eletrônicos em Ivoti e em Guaíba, em março e abril.

Ele ainda possui mandado de prisão por arrombamento de banco em Jales-SP, em julho de 2013. É investigada uma possível relação entre o ataque de sábado e o da tarde de ontem, dia 24, em uma agência do Banrisul do bairro Canabarro, também em Teutônia. Um caixa também foi aberto com uso de maçarico.

Tudo indica se tratar de uma nova quadrilha, conforme a polícia, já que não é comum a prática de ataques tão próximos em uma mesma cidade. Três catarinenses de Joinville, suspeitos de 20 arrombamentos a caixas eletrônicos, já tinham sido presos em flagrante em Passo do Sobrado, no Vale do Rio Pardo, no último dia 1º de maio.

 

Grupo Independente.

Compartilhe:

Comentários

  • josué santos
    26 maio, 2015

    E dizem que o problema da segurança é falta de policionamento ?! Quantos crimes precisam ser cometidos para ficar preso? Acredito que com melhorias na educação, melhor estrutura familiar e uma reforma nas leis, boa parte do problema de segurança estariam resolvidos.

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também