Giro do Vale

Giro do Vale

terça-feira, 18 de junho de 2024

Inter larga em vantagem por vaga na decisão da Libertarores

Foto: Alexandre Lops / Inter / Divulgação

Foto: Alexandre Lops / Inter / Divulgação

Foi duro, mas a vitória veio. Apesar de levar sustos, o Inter conseguiu vencer o Tigres por 2 a 1 na noite desta quarta-feira no estádio Beira-Rio e largar em vantagem na semifinal da Libertadores. Com o resultado, o Colorado pode jogar por qualquer empate na partida de volta, em Monterrey que garante um lugar na decisão. Os gols da partida foram marcados no primeiro tempo. D’Alessandro e Valdívia anotaram para o time gaúcho, enquanto os visitantes descontaram com Ayala.

Inter tem começo avassalador, mas cai de produção

Os 49 dias em que passou afastado da Libertadores parecem ter feito bem ao Inter. Ao não tirar o torneio da cabeça, o Colorado entrou em campo disposto a matar a fome de bola, o que proporcionou aos torcedores minutos de euforia no princípio do jogo.

Marcando pressão, o Inter forçava a zaga do Tigres a errar na saída de bola. A iniciativa do Colorado funcionou com maestria aos quatro minutos, quando numa saída de lateral a defesa mexicana se equivocou. A bola sobrou para D’Alessandro, que de fora da área arriscou um chute forte e rasteiro e venceu o goleiro Guzmán, fazendo Inter 1 a 0.

O Tigres nem havia tocado na bola e já estavam em desvantagem. Vendo que a marcação pressão deu resultado, o Inter novamente abafou a defesa mexicana. Aos nove minutos, Lisandro López recebeu a bola pela meia-esquerda e tentou o chute. A sobra ficou com Valdívia, que arriscou um chute. A bola bateu na defesa e encobriu o goleiro Guzmán, morrendo no fundo das redes mexicanas.

A partir daí, a empolgação da torcida deu lugar à tensão. O Inter era quem não conseguia jogar. Sobis era o comandante do Tigres, que se transformou em um time perigoso quando passou a acionar com frequência Aquino e Gignac. Aos 30 minutos, o Inter escapou de levar o empate, quando Aquino lançou Sobis na direita. O atacante entrou na área e estava cara a cara com Alisson. Para alívio dos torcedores, o goleiro colorado conseguiu fazer a defesa após um chute rasteiro.

Sete minutos depois, o Tigres assustou novamente. Em uma falha da defesa, o francês Gignac passou por Ernando e Alan Costa e ficou na frente de Alisson. O centroavante bateu forte, mas o goleiro do Inter mostrou grande reflexo ao fazer a defesa. Porém, aos 23, o pior aconteceu. Ayala, de cabeça, após um descuido da zaga marcou o gol mexicano. O Inter, assustado, voltou ao vestiário com uma crise de identidade, sem saber se era aquele time que empolgou a torcida até os 15 minutos ou a equipe que escapou de levar dois gols do Tigres.

Vantagem numérica não é aproveitada

Inter voltou para o segundo tempo menos nervoso e tentando conter as principais jogadas do Tigres. Agora, na etapa complementar, quem fazia a marcação pressão eram os mexicanos. A tática funcionou e aos seis minutos, Arévalo Rios quase fez o segundo após um cruzamento de Aquino na direita.

Na tentativa de se reencontrar, o Inter investia em escapadas pela esquerda com Valdívia, mas o meia-atacante ainda precisava de companhia. Aos 12, o Colorado adquiriu uma vantagem que se assemelhava a um gol. Lisandro López recebeu entrada dura de Ayala no lado direito. O zagueiro, que já tinha cartão amarelo, recebeu a segunda advertência e foi expulso.

A expulsão de Ayala obrigou o técnico Ricardo Ferretti a mexer no time. Jurgen Damm deixou o gramado para entrada de Briseño. O Inter também mexeu e optou pela entrada de Sasha na vaga de Nilmar. Mesmo com superioridade numérica, o Colorado não conseguia criar chances. Aos 20 minutos, o time gaúcho tinha mais posse de bola, mas pouca ação ofensiva. Tanto que aos 23, Ayala aproveitou um descuido da defesa e descontou.

Aos 27, o Inter conseguiu dois lances de perigo em sequência. Ambos com Lisandro López. No primeiro, Valdívia cruzou da esquerda e o centroavante cabeceou firme para uma grande defesa de Guzmán. Em seguida, o camisa 17 arriscou de fora da área e novamente o goleiro do Tigres fez uma ótima intervenção.

A partir dos 30 minutos, a fonte de criação do Inter se esgotou. O Tigres conseguiu se resguardar na defesa e evitou que o Colorado marcasse o terceiro gol. A equipe gaúcha não foi capaz de criar mais chances, embora tivesse a posse de bola. Nem a entrada de Rafael Moura, aos 40 minutos, surtiu efeito.

O apito final soou no Beira-Rio e o Inter levará para o México ao menos a vantagem de jogar pelo empate no estádio do Tigres.

Libertadores 2015 – Semifinal


Inter 2

Alisson; Willian, Ernando, Alan Costa e Geferson; Dourado, Aranguiz, D’Alessandro e Valdivia (Rafael Moura); Nilmar (Sasha) e Lisandro Lopez. Técnico: Enrique Carrera

Tigres 1

Guzmán; Jiménez, Juninho, Ayala e Torres; Arévalo Rios, Pizarro, Aquino e Damm (Briseño); Rafael Sobis (Lugo) e Gignac. Técnico: Ricardo Ferretti.

Gols:
D’Alessandro, aos 4/1º; Valdívia, aos 9/1º; Ayala, aos 23/1º;
Cartões Amarelos: Jimenez (T); Gefferson (I); Ayala (T); Pizarro (T); Dourado (I);
Cartão Vermelho: Ayala (T);
Local: Beira-Rio.
Árbitro: José Argote (Fifa-VEN)
Auxiliares: Jorge Urrego (Fifa-VEN) e Carlos Lopez (Fifa-VEN).

 

Correio do Povo

Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também