Giro do Vale

Giro do Vale

sexta-feira, 21 de junho de 2024

Filha e genro acusados de matar casal de idosos enfrentam juri popular em Lajeado

Foto: Marcio Steiner / Grupo IndependenteOs réus Ana Luiza Müller Dullius e Stanislau dos Santos enfrentam juri popular nesta terça-feira (15) no Fórum de Lajeado. Eles são acusados do homicídio qualificado do casal Isolde Müller Dullius e João Dullius, ambos de 59 anos, ocorrido na manhã do dia 03 de junho de 2014, na avenida dos Ipês, no bairro Moinhos D’Água, em Lajeado. Os acusados são filha e genro do casal morto.

As vítimas foram mortas a golpes de machadinha. Segunda a sentença, na ocasião, há cerca de três semanas antes do fato, Ana Luíza, filha do casal, e seu companheiro Stanislau passaram a residir com as vítimas, pelo fato de ter ocorrido um vazamento de água no sobrado onde moravam, o qual foi propositalmente produzido pela dupla.

Na data dos fatos, as vítimas estavam na sua residência aguardando a chegada de um taxista que os conduziria, na companhia de seu genro, até a Promotoria de Justiça de Lajeado para tratar de um desvio de valores efetuados em suas contas bancárias. Tal reunião, contudo, foi uma invenção.

Ana Luiza não acompanharia os seus genitores na referida reunião, uma vez que ficaria na sua casa, um sobrado nas imediações da residência dos pais, para receber uma geladeira que naquela manhã retornaria do conserto. Versão que também foi utilizada para ludibriar as vítimas.

Na ocasião, momentos antes da chegada do taxista, o casal foi brutalmente assassinado por Stanislau. Pouco antes do fato, Ana Luiza, consentindo no resultado da morte dos pais, saiu da casa dos genitores e postou-se na esquina, com intuito de cuidar o eventual movimento de pessoas, com isso acobertando a ação de Stanislau.

O motivo do crime foi torpe, ou seja, desprezível, na medida em que os denunciados decidiram ceifar com a vida do casal para não terem de devolver o dinheiro que haviam indevidamente se apoderado das contas bancárias do mesmo.

A Polícia Civil de Lajeado, na ocasião coordenada pelo delegado Sílvio Huppes, prendeu a dupla três dias depois do crime, em uma residência no bairro São Caetano em Arroio do Meio.

Atualmente a mulher está recolhida no Presídio Estadual de Encantado e o homem no sistema carcerário lajeadense.

O julgamento ocorre a partir das 9h15 desta terça-feira no salão do Fórum de Lajeado e a espectativa é de que se estenda até a noite. A audiência será presidida pelo juiz Rodrigo de Azevedo Bortoli e o promotor de justiça João Francisco Ckless Filho atuará na acusação. O defensores de Ana Luiza são os advogados Ezequiel Vetoretti e Melani Feldmann. Já Stanislau terá do seu lado o defensor público Fabrício Azevedo de Souza.

 

Grupo Independente

Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também