Giro do Vale / País / Política

Por 61 a 14, Senado aprova PEC do Teto em primeiro turno

Matéria voltará ao plenário para análise em segundo turno.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Senado aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2016 em primeiro turno, na noite desta terça-feira, dia 29, por 61 a 14. A PEC estabelece teto dos gastos públicos pelos próximos 20 anos. O texto precisa também de aprovação no segundo turno no plenário, o que deve ocorrer no início de dezembro.

A aprovação ocorreu mesmo sob o clima  de luto oficial, decretado pelo presidente, Miche Temer, por conta do acidente com o avião com a delegação da Chapecoense. Além disso, fortes protestos foram realizados nesta quarta-feira, na Esplanada dos Ministérios, contra a aprovação. Uma multidão reuniu-se no Museu Nacional e caminhou até a frente do Congresso Nacional.

Ao chegar ao gramado do Congresso, houve tumulto e confronto entre os manifestantes e a polícia. A organização estima a participação de 15 mil pessoas, já a Polícia Militar do Distrito Federal calcula cerca de 10 mil participando do ato. Os estudantes organizaram caravanas para vir à capital, com mais de 300 ônibus. Antes de caminhar até o Congresso, eles fizeram um ato em frente ao Ministério da Educação (MEC).

A PEC impõe um teto máximo para os gastos públicos pelos próximos 20 anos equivalente ao valor gasto no ano anterior, corrigido pela inflação. O texto já foi aprovado na Câmara dos Deputados e deverá passar ainda por votação em segundo turno no Senado.

O cronograma previsto estabelece que os senadores farão nos próximos dias as três sessões de discussão necessárias antes do segundo turno. A última votação está marcada para ocorrer no dia 13 de dezembro e, se a PEC for aprovada sem alterações, ela será promulgada no dia 15 de dezembro. Se forem aprovadas emendas, no entanto, o texto deverá retorna para a Câmara dos Deputados.

O conflito se intensificou quando um grupo de manifestantes virou um carro de reportagem estacionado próximo à rampa do Congresso. A polícia reagiu disparando bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo. Houve confronto e os policiais dispersaram parte dos manifestantes, que saíram correndo no gramado em frente ao Congresso. Um forte aparato policial conseguiu afastar a maioria do público. Um grupo de deputados da Comissão de Direitos Humanos dirigiu-se ao local para tentar intermediar o conflito.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Material estava em tonéis, e foi levado em ação que durou cerca de 5 minutos.

O suspeito, que já foi três vezes preso por furto em pouco mais de um mês, estava no interior do carro.

Veículo estava abandonado em uma rua do Bairro Pinheiros.

Decisões no mês de agosto fazem comissão técnica pensar em preservar jogadores importantes.