Giro do Vale / Geral / País

Torcida lota a Arena Condá e homenageia vítimas da tragédia

Torcedores participaram de missa no gramado do estádio e entoaram “é campeão”.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Milhares de torcedores da Chapecoense lotaram a Arena Condá nesta quarta-feira para prestar homenagem às vítimas da queda do avião que levava a delegação do clube para a final da Copa Sul-Americana em Medellín, na Colômbia. Cerca de 20 mil pessoas ocuparam as arquibancadas do estádio na noite que deveria ocorrer o jogo contra o Atlético Nacional para lembrar os ídolos que partiram para a viagem mais importante da história da equipe e perderam suas vidas.

Ato semelhante também ocorreu no estádio Atanasio Girardot, em Medellín. Lá, outras dezenas de milhares de torcedores foram ao estádio onde ocorreria a partida. Eximindo-se de qualquer rivalidade, a torcida do Atlético Nacional entoou em coro: “Ole, ole, ole, ole, Chape! Chape!”.

Como se fosse jogo

A homenagem em Chapecó começou por volta das 20h, mas muito antes disso os torcedores já ocupavam as arquibancadas da Arena Condá. Conforme prometido, as torcidas organizadas trataram de cantar e fazer a festa que costumavam fazer nos dias de jogos. Com faixas, fogos e equipamentos de som, os torcedores fizeram parecer que era noite de bola rolando na Arena Condá. A emoção pela partida dos ídolos, no entanto, também era vista. Em meio as cantorias foi comum ver torcedores chorando em razão da tragédia que matou 71 pessoas, 19 delas jogadores do clube.

A classificação histórica para a final diante do San Lorenzo na última quarta-feira foi lembrada. O goleiro Danilo, que fez uma defesa espetacular no último minuto do jogo contra os argentinos, teve o nome gritado em vários momentos desde o início da homenagem. “Há uma semana a gente viveu aqui a maior emoção das nossas vidas com a classificação para a final. Aquela defesa do Danilo vai ficar para sempre guardada”, disse o jovem torcedor Eduardo, de 14 anos.

Pouco antes das 21h45min, horário que iniciaria a partida em Medellín, ocorreu o momento de maior emoção na noite. O telão do estádio apresentou em forma de escalação todas as vítimas da tragédias. Sob aplausos, as fotos de um a um dos jogadores, membros da comissão técnica, dirigentes e jornalistas na tragédia mortos foram mostradas com a inscrição “eternos campeões”.

Exatamente às 21h45min, o telão se apagou e o estádio inteiro gritou “é campeão”. Em seguida, os torcedores cantaram uma música que exaltava o orgulho pelo clube e o grupo de atletas, dirigentes e funcionários que levou a Chapecoense ao maior momento de sua história.

Missa no centro do gramado

O gramado onde tantas vezes os jogadores deram alegria para a Chapecoense virou lugar para a realização de uma missão. Às 21h10min, os cantos dos torcedores foram parados para uma cerimônia, onde os milhares de presentes na Arena Condá oraram pelas vítimas na tragédia.

A missa foi realizada no centro do gramado. Uma roda foi formada para que os jornalistas pudessem efetuar os registros. Dentro dele, um padre e um pastor comandaram as orações. Alguns familiares das vítimas participaram da cerimônia. Jogadores do elenco que não viajaram a Medellín, casos dos goleiros Marcelo Boeck e Nivaldo, do lateral Cláudio Winck e do zagueiro Demerson, acompanharam a cerimônia e todas as homenagens dentro do gramado, assim como o ex-jogador da Chape e hoje no Palmeiras, Fabiano.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Os corpos, que seriam de pai e filho, já estavam em avançado estado de decomposição

Foto: João Vilnei / Divulgação

Defesa Civil concentrou o atendimento aos moradores no ginásio do Corpo de Bombeiros em Santa Maria

Foto: Divulgação

Casa incendiou, mas os bombeiros conseguiram controlar as chamas

Foto: Brigada Militar / Divulgação

Indivíduo estava com crack, cocaína e maconha