Giro do Vale / Geral / País

PF indicia Lula no caso de compra de MPs

Novas provas relacionadas ao Refis indicariam ação do ex-presidente em favor de montadoras.

Foto: Nelson Almeida / AFP / Divulgação

Foto: Nelson Almeida / AFP / Divulgação

A Polícia Federal indiciou ontem o ex-presidente Lula, suspeito de corrupção passiva em novo inquérito da Operação Zelotes, na parte da investigação que trata da suposta compra de medidas provisórias. A investigação conclui também pelo indiciamento de mais 12 pessoas, entre elas os ex-ministros Gilberto Carvalho e Erenice Guerra e os empresários Carlos Alberto Andrade, da empresa Caoa, e Paulo Ferraz, ex-presidente da Mitsubishi. Todos os indiciados negam as acusações.

A investigação é sobre a edição da MP 471, a chamada MP do Refis, que estendeu a vigência de incentivo fiscal às montadoras e fabricantes de veículos instalados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O incentivo seria extinto em março de 2010 , mas foi prorrogado até 31 de dezembro de 2015.

A polícia analisou novas provas colhidas com lobistas investigados na Zelotes. São anotações de reuniões, trocas de e-mails e encontros de Lula com o lobista Mauro Marcondes, a quem Lula conhece desde os tempos de sindicalismo, segundo a PF.

De acordo com o relatório de indiciamento, as tratativas envolvendo suspeitas de corrupção nesse caso começaram em junho de 2009, quando Lula era presidente. E afirma que as novas anotações analisadas na investigação mostram indícios de que a edição da MP 471 envolveu pagamento de R$ 6 milhões que seriam destinados ao PT.

Defesa condena sucessão de ataques

Os advogados de Lula, disseram, em nota, desconhecer o teto do indiciamento e afirmaram que o ex-presidente tem sido “submetido, nos últimos dois anos, a verdadeira devassa e nenhuma prova foi encontrada, simplesmente porque não houve de sua parte qualquer ato de corrupção”

“Essa onda de ataques só serve para reforçar que nosso cliente é vítima de perseguição política por meio de procedimentos jurídicos, prática reconhecida internacionalmente como lawfare, e que atenta contra o Estado Democrático de Direito”, diz trecho da nota.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Processo visa apurar o recebimento de valores oriundos de expositores do evento na conta bancária particular de um secretário municipal

Indivíduo foi detido próximo ao Banco do Brasil

Madrugada ainda será com temperaturas baixas

Apostas podem ser feitas até as 19h; valor mínimo é de R$ 3,50