Giro do Vale / Estado / Geral

Secretaria da Fazenda define quitação de salários do funcionalismo nesta quarta

Valor deve ser inferior a R$ 2 mil

O governo do Rio Grande do Sul ainda não tem uma previsão sobre a quitação dos salários de dezembro dos servidores vinculados ao Poder Executivo. É praticamente certo que o valor será inferior a R$ 2 mil, mas há ainda expectativa sobre montante que o Estado arrecadará nesta última semana de desconto máximo previsto para o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA 2018). Embora a Secretaria da Fazenda evite falar sobre o assunto, o valor a ser pago no dia 28 dependerá desta arrecadação. O anúncio do que será pago está previsto para amanhã. A folha salarial líquida de novembro, último mês quitado, ficou em R$ 1,188 bilhão.

Em busca do pré-acordo 

O recomeço da caminhada do Estado na busca de um pré-acordo com a União em torno do Regime de Recuperação Fiscal já deu seus primeiros passos. A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) iniciaram conversação na semana passada visando entrar em um acordo quanto ao percentual de gastos com pessoal no RS. O pedido de reunião partiu da STN.

Fazenda e TCE 

A Secretaria da Fazenda contesta informação de que teria orientado o Tribunal de Contas do Estado (TCE), nos anos 2000, sobre a forma de enquadrar os gastos com pessoal do Estado com relação às determinações da Lei de Responsabilidade Fiscal.

A informação de que a Fazenda estadual teria pedido que despesas com auxílio-creche, auxílio-funeral e pensões fossem excluídas do cálculo dos gastos teria partido do tribunal e teve oposição, na época, de órgãos da Fazenda em documentos apresentados pela assessoria da secretaria.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Ainda há veículos furtados no município, que estão desaparecidos.

Ação policial iniciou após criminosos terem roubado uma moto nas imediações da Cervejaria Salva em Bom Retiro do Sul.

Homem é um dos sócios de outro envolvido e ambos teriam pago R$ 25 mil por ritual macabro.

Decisão foi feita após processo movido por um grupo de advogados trabalhistas.