Giro do Vale / Destaque / Geral / País

Seguro DPVAT pode ser pago a partir desta terça-feira

Valor pode ser quitado à vista ou com o IPVA.

Foto: Divulgação

O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores em Vias Terrestres (DPVAT) poderá ser pago a partir desta terça-feira com o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

O seguro obrigatório – que neste ano teve redução de 35% para todas as categorias, exceto motocicletas – pode ser pago à vista ou parcelado. Se for à vista, o pagamento deve ser feito no vencimento da cota única ou com a primeira parcela do IPVA diretamente em um dos bancos arrecadadores (Banrisul, Sicredi, Banco do Brasil, Itaú ou Bradesco). Para isso, é preciso apresentar o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV).

Já com o parcelamento, o seguro deverá ser pago em três parcelas fixas no vencimento das parcelas 1, 2 e 3 do IPVA. As guias devem ser emitidas no site da Seguradora Líder. Se o veículo for isento de IPVA, o vencimento será junto com o emplacamento ou no licenciamento anual.

O DPVAT foi criado em 1974 com a finalidade de amparar as vítimas de acidentes de trânsito em todo o País.

Confira os valores do DPVAT

– Categorias 1 e 2 (carro e camionetas): R$ 41,40

– Categoria 3 (ônibus e micro-ônibus): R$ 160,05

– Categoria 4 (ônibus e micro-ônibus particulares, oficiais, missão diplomática, corpo consular e órgão internacional): R$ 99,24

– Categoria 8 (ciclomotor): R$ 53,24

– Categoria 9 (motocicletas, motonetas e similares): R$ 180,65

– Categoria 10 (caminhonete, caminhão, caminhão trator, trator de rodas, trator de esteira e trator misto): R$ 43,33

Última semana para pagar IPVA com desconto máximo

O contribuinte interessado no desconto máximo previsto no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2018, que poderá chegar a 24,73%, tem até a próxima terça-feira, 2 de janeiro de 2018, para efetuar a quitação antecipada. Nesse período, o motorista tem uma redução de 3% sobre o valor do imposto e pode se valer também da Unidade de Padrão Fiscal (UPF) de 2017, antes da atualização na virada do ano prevista em 3,09%.

Para alcançar o desconto máximo de 24,73% sobre o IPVA 2018, o contribuinte tem que somar as vantagens dos programas do Bom Motorista e do Bom Cidadão. Os condutores que não receberam multas nos últimos três anos têm dedução de mais 15%. Para quem não foi multado há dois anos, o índice é de 10%; e quem ficou um ano sem infrações, o abatimento é de 5%. O desconto do Bom Cidadão, por sua vez, dá aos proprietários de veículos que acumularam no mínimo 100 notas fiscais no programa Nota Fiscal Gaúcha mais 5% de desconto, válidos para pagamentos antecipados ou não.

A Receita Estadual estima arrecadar R$ 2,63 bilhões com o IPVA 2018, com a metade do valor sendo repassada de maneira automática para as prefeituras, conforme o município de licenciamento do veículo. A frota total é de aproximadamente 6,54 milhões. Destes, 3,65 milhões (54%) estão sujeitos à incidência do IPVA e 2,89 milhões (46%) estão isentos (veículos com mais de 20 anos de uso, máquinas agrícolas, valor inferior a 4 UPF, veículo oficial, pessoa com deficiência, táxi, ônibus, transporte escolar, instituições, templos, entre outros).

Quem paga o IPVA?

Todos os proprietários de veículos automotores fabricados a partir de 1999.

Como pagar?

Para quitar o imposto, o proprietário deve apresentar Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Junto com o IPVA, é possível pagar o seguro obrigatório (DPVAT), cujo valor ainda não foi divulgado pela Susep, a taxa de licenciamento e multas de trânsito.

Onde pagar?

No Banrisul, Bradesco, Santander, Sicredi, Caixa (loterias) e Banco do Brasil (somente para clientes).

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Ainda há veículos furtados no município, que estão desaparecidos.

Ação policial iniciou após criminosos terem roubado uma moto nas imediações da Cervejaria Salva em Bom Retiro do Sul.

Homem é um dos sócios de outro envolvido e ambos teriam pago R$ 25 mil por ritual macabro.

Decisão foi feita após processo movido por um grupo de advogados trabalhistas.