Giro do Vale / Destaque / Polícia

Preso quarto suspeito de ataque a carro-forte na Serra

Homem foi localizado na madrugada deste domingo em uma residência abandonada às margens da RS 444

Foto: PRF / Divulgação

A Brigada Militar prendeu na madrugada deste domingo o quarto integrante da quadrilha que atacou o carro-forte da empresa Brinks, na BR 470, em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha, na terça-feira passada. O homem de 45 anos, residente em São Leopoldo, no Vale do Sinos, foi localizado durante uma incursão das patrulhas noturnas que percorrem a região serrana. Ele estava em uma residência abandonada às margens da RS 444, no município de Santa Tereza, distante 10 quilômetros do local onde a BM entrou em confronto com o comboio de três veículos utilizados pelos criminosos no ataque.

Ainda na terça-feira, a Brigada Militar, com apoio da Polícia Civil e da Polícia Rodoviária Federal, prendeu três integrantes da quadrilha em Monte Belo do Sul. Segundo a BM, o homem preso na madrugada deste domingo estava bastante debilitado e desarmado. Ele afirmou que perdeu a arma que portava durante confronto com policiais, provavelmente um fuzil calibre 762 apreendido na tarde de sábado. Participaram da prisão, os policiais militares do 3º BPAT de Bento Gonçalves e do 1º BOE de Porto Alegre.

As buscas seguem sendo feitas na região há mais de 120 horas. Oito criminosos teriam atacado o carro-forte. De acordo com a PRF, o veículo foi explodido pelos criminosos no km 178 da rodovia, próximo à ponte do Rio das Antas, sentido Veranópolis. A Polícia Civil informou que foram recuperados R$ 828 mil que haviam sido retirados do blindado. No total, R$ 950 mil eram transportados. Também foram apreendidos pela polícia gaúcha uma metralhadora .50 e dois fuzis.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Vítima foi encontrada por um pescador, que estava em um barco.

A Brigada Militar (BM) foi acionada e fez buscas, mas o assaltante não foi encontrado.

Havia cerca de 10,5 mil aves no momento do incêndio, mas não houve perda significativa

Após ser levado a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) ele seria conduzido ao presídio.