Giro do Vale / Esporte / Inter

Inter volta a vencer o Cianorte e chega à quarta fase da Copa do Brasil

Com gols de Patrick e D’Alessandro, Colorado repetiu o placar do jogo de ida.

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

O Inter carimbou a vaga na quarta fase da Copa do Brasil nesta quarta-feira, ao derrotar outra vez o Cianorte, novamente por 2 a 0, no estádio Albino Turbay, em Cianorte. Com o desfalque de Dudu, lesionado, o técnico Odair Hellmann fez alterações na equipe e escalou Edenilson na lateral, além de trocar Klaus e Nico López por Rodrigo Moledo e Marcinho, respectivamente.

O Inter conhecerá o próximo adversário e a ordem dos jogos na quarta fase da Copa do Brasil em sorteio na próxima segunda-feira. Um dia antes, os colorados vão à Arena para o primeiro Gre-Nal das quartas de final do Gauchão.

Após sustos, Patrick garante a vantagem

Escalado com Moledo na zaga, Edenilson na lateral e Marcinho no ataque, o Inter teve diante de si um advesário intenso. Nos primeiros minutos, o Cianorte tanto se jogava ao ataque ou arriscava de longe, quanto oferecia generosos espaços na defesa. E as chances iniciais que levaram mais perigo foram da equipe paranaense – que precisava de dois gols de diferença para ter alguma chance. No primeiro minuto, por exemplo, Morelli arriscou de longe e fez a bola tirar tinta do travessão. Aos 8, Richarlyson bateu rasteiro e por um segundo Neto Costa não completou da pequena área.

Até aí, o Inter tinha seus momentos, ainda que não tão perigosos, mas de levar preocupação à zaga dona da casa. Mas pouco a pouco, o Cianorte foi tomando conta das ações ofensivas. E seguindo o roteiro: André Luís quase marcou aos 13, quando chutou de muito longe. Mesma situação de Carrilho, aos 22. Da intermediária, o meia mandou rasteiro e a bola passou a menos de um metro da trave direita de Lomba.

O jogo tinha uma cara de que ficaria complicado para o Inter. Até que Marcinho recebeu. O meia pifou Roger na área e o centroavante foi derrubado por Arroyo. Pênalti. Na cobrança, porém, o chute de D’Alessandro no canto esquerdo de João Gabriel parou nas mãos do goleiro. A conta do pênalti perdido quase saiu cara seis minutos depois, quando Xavier bateu de primeira o cruzamento vindo da direita. Mesmo com espaço, ele chutou mascado e perdeu a chance.

O veneno do Cianorte acabou sendo fatal. Contra eles próprios. Aos 38, Carrilho tentou cobrar direto desde quase o meio de campo. A bola rebateu na barreira e sobrou para Marcinho levar para o contragolpe. O meia correu rápido pela direita e, já perto da área, tocou para Patrick, que vinha junto com Roger, pela esquerda. O volante dominou e bateu cruzado, abrindo o placar aos 38. O segundo gol quase veio aos 42. D’Alessandro cobrou escanteio, Patrick desviou e Roger, com o gol livre, perdeu o tempo da bola e não conseguiu empurrar para as redes.

D’Ale se redime

Com o resultado já encaminhado, o ritmo baixou no segundo tempo. Não que o Cianorte tenha abdicado de atacar, mas que os suas chegadas perderam força ao mesmo tempo em que os espaços na defesa aumentaram. Com mais tranquilidade, o Inter passou a explorar os contra-ataques, principalmente com Marcinho, pela ponta direita.

A primeira tentativa assim foi logo aos 5. D’Alessandro lançou Marcinho, que esticou demais e perdeu o ângulo. Ele conseguiu o recuo para o camisa 10, que enquadrou o corpo e chutou colocado. A bola foi para fora. Dez minutos depois, novo lançamento do argentino para o meia, que desta vez cruzou. Foi alto demais e Cuesta, que surgia como elemento surpresa, não alcançou.

O técnico Odair Hellmann trocou Roger por Brenner aos 15 e, em dois minutos, o jovem atacante conseguiu uma boa chance, após tabela com Marcinho. O problema é que o chute foi parar fora do estádio. A pressão colorada seguiu e Moledo quase ampliou de cabeça aos 21. João Gabriel espalmou numa grande defesa. O goleiro, contudo, teve que buscar a bola no fundo das redes no minuto seguinte. Após boa jogada, Patrick cruzou e D’Alessandro redimiu-se do pênalti perdido, mandando no contrapé do camisa 1 do Cianorte.

Sem muitas emoções até o fim, Odair promoveu a estreia de Rossi, que entrou no lugar de Marcinho, e pode ter ganhado um problema, aos 35, quando precisou substituir Edenilson por Juan. O meia improvisado como lateral sentiu a coxa e será reavaliado. Ainda antes do fim do jogo, D’Alessandro chutou forte e a bola raspou o travessão no lance que quase transformou a vitória em goleada.

Copa do Brasil – 3ª fase

Cianorte 0

João Gabriel; Gerônimo, Montoya, Feliphe Gabriel e Arroyo (Deco); Morelli, Carrilho, Richarlyson e Xavier (Murilo); André Luís (Clebinho) e Neto Costa. Técnico: Irineu Ricardo

Inter 2

Marcelo Lomba; Edenilson (Ruan), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta, Iago; Rodrigo Dourado, Gabriel Dias, Marcinho (Rossi), D’Alessandro e Patrick. Roger (Brenner). Técnico: Odair Hellmann

Gols: Patrick (38/1), D’Alessandro (22/2)

Cartões amarelos: Carrilho, Arroyo, André Luís, Morelli, Richarlyson; Rodrigo Moledo, Gabriel Dias, Brenner

Local: Estádio Albino Turbay

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Segundo os bombeiros, houve a perda de materiais de uso agrícola, alguns terneiros e suínos.

Três elementos encapuzados e armados realizaram a ação criminosa e levaram um carro das vítimas.

O acidente ocorreu próximo à Vonpar Alimentos, na altura do km 77 da ERS-130.