Giro do Vale / Destaque / Polícia / Venâncio Aires

Acusados da morte de bancário venâncio-airense são condenados pelo crime

Júlio Assmann Marder foi morto no final de outubro de 2017, na casa em que residia, no Bairro Aviação. Sua esposa foi condenada a 21 anos de reclusão.

Dias após o crime, o carro da vítima foi encontrado abandonado na localidade de Linha Coronel Brito (Foto: BM / Divulgação)

Os quatro apontados pela morte do bancário de Venâncio Aires Júlio Assmann Marder foram condenados pelo crime. Salete de Azevedo, 46 anos, a amiga dela, Márcia Rejane Kist Severo, 45 anos, o namorado de Márcia, Marcos Roberto Cottes Figueiró, 29 anos, e ainda Antônio Alcides Oestreich, 53 anos, tiveram participação na morte do bancário, praticada no fim da noite do dia 26 ou madrugada do dia 27 de outubro de 2017, na casa onde ele residia com Salete, no Bairro Aviação, em Venâncio Aires.

Bancário Julio Marder foi morto em outubro de 2017. (Foto: Reprodução)

De acordo com a sentença, que começou a ser proferida a 0h25min da madrugada deste sábado, dia 4, pela juíza Márcia Wrasse, Salete foi condenada a 21 anos de reclusão e mais um ano de detenção. Márcia e Figueiró foram condenados a 18 anos de reclusão, cada um. Os três foram acusados de planejar o crime e cumprirão as penas em regime fechado.

Oestreich foi condenado a 2 anos e dois meses de detenção pelo homicídio. A pena inicial será cumprida em regime semiaberto. A defesa dos réus foi feita pelos advogados Ezequiel Vetoretti (Salete), Jean Severo (Oestreich) e Gustavo Bretana (Márcia e Figueiró).

Para eles, Salete, Márcia e Figueiró não tiveram participação no crime; e Oestreich agiu em legítima defesa.

Folha do Mate

Veja mais imagens

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Populares disseminaram nas redes sociais informação sobre supostos assassinatos, levando BM, Bombeiros e ambulâncias ao local indicado

Vítima foi morta quando chegava em casa, no bairro Imigrante

Instabilidade deve predominar no RS ao menos até sexta-feira

Tricolor dominou as ações ofensivas, mas não conseguiu transformar em gols