Giro do Vale / Estado / Geral

Terça ainda terá sol, mas chuva chegará acompanhada de vento

A terça-feira será o último dia sob bloqueio atmosférico responsável pelo tempo seco e muito quente para a época do ano

Foto: Divulgação

A terça-feira será o último dia sob bloqueio atmosférico responsável pelo tempo seco e muito quente para a época do ano que predominou nos últimos dias, no Rio Grande do Sul. O sol aparece novamente na maioria das regiões, mas uma frente fria ingressa, com aumento de nuvens e chuva no fim da tarde e à noite por Oeste e Sul.

Na Metade Norte, não se descarta instabilidade muito isolada associada ao ar quente. O amanhecer ameno terá neblina ou nevoeiro em pontos isolados. Já a tarde será quente para a segunda quinzena de junho. O vento se intensifica do Centro para o Oeste do Estado, soprando do quadrante Norte.

Ciclone na Argentina

Um centro de baixa pressão vai dar origem a um ciclone extratropical na província de Buenos Aires. O ciclone trará chuva forte e muito volumosa para a província da Argentina, além de fortes rajadas de vento, especialmente em áreas costeiras. A frente fria associada ao ciclone avança pelo Rio Grande do Sul no final desta terça e na quarta, mas vai trazer pouca chuva na maioria das áreas.

Modelos não indicam temporais, mas com ar quente na dianteira da frente e uma corrente de jato em baixos níveis atuando, não é possível afastar que a instabilidade seja maior que a antecipada pelos modelos e que isoladamente ocorram eventos de tempo severo como vendavais. O ciclone será responsável por trazer vento moderado a forte.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Com mudança de ponto facultativo, unidades não abrem na sexta-feira

Serão beneficiados 3,6 milhões nascidos em outubro, além do grupo do Bolsa Família, com final 8 do NIS, que recebe a parcela extra de R$ 300

Documento autoriza indústrias a operarem na capacidade máxima em regiões de bandeira laranja; e público de até 100 pessoas em festas e shows em regiões de bandeira amarela

Mercado está afetado pela redução da produção, imposta pela estiagem, maior consumo durante pandemia e crescimento das exportações