Giro do Vale / Destaque / Política / Saúde

Bandeira preta deverá seguir no mês de abril, segundo Leite

Cogestão deve ser retomada a partir da próxima semana, com liberação de algumas atividades econômicas

Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

Diante da alta pressão sobre o sistema de saúde no Rio Grande do Sul, a bandeira preta, que prevê as maiores restrições no sistema de distanciamento controlado, deverá seguir por mais algumas semanas. O governador Eduardo Leite afirmou nesta segunda-feira, dia 15, em entrevista à Rádio Gaúcha, que provavelmente o Estado entrará o mês de abril nesta condição.

“A análise dos indicadores não vai indicar simplesmente que a bandeira preta estará na semana que vem. Estará por algumas semanas, porque o sistema hospitalar está totalmente tomado de demanda por coronavírus. O número de pacientes confirmados com a doença em UTIs era 800 há um mês. Agora, são 2,5 mil. É uma pressão muito forte. Isso vai significar que o Estado entre provavelmente o mês de abril com bandeiras pretas”

Eduardo Leite

Retorno da cogestão

O que o governo estuda é retomar a cogestão, que significa gestão compartilhada entre Estado e municípios. Neste modelo, as prefeituras e associações regionais podem adotar regras menos restritivas, equivalentes à bandeira imediatamente anterior.

O Governo estuda a possibilidade de elevar as restrições da bandeira vermelha, para que possa haver uma possível retomada de atividades, porém com restrições. Seguirá mantida até o final de março, pelo menos, a restrição geral de atividades das 20h até as 5h.

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Há chance de tempo instável na instável na Serra, Vales e Grande Porto Alegre

Projeto volta para a Câmara para análise de financiamento

No Vale do Taquari, a mínima será de 11°C e a máxima não ultrapassa os 25°C

Indivíduo de 37 anos estava andando pela rua com uma arma na cintura, ao lado de uma mulher