Giro do Vale / Política

Executivo e Legislativo pedem prioridade para vacinação de trabalhadores da educação

De acordo com o cronograma do Ministério da Saúde, os professores começam a ser vacinados em meados de maio

Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

O governo do Estado e o poder Legislativo se reuniram, em ato conjunto, nesta terça-feira, dia 2, por meio de videoconferência, para pleitear a antecipação da vacinação de trabalhadores da educação das redes pública e privada. A categoria já pertence ao grupo prioritário para a imunização, mas ainda não há previsão de quando o governo federal disponibilizará doses suficientes para vacinar todos os professores.

O governador Eduardo Leite assinou um ofício, que será enviado ao ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para oficializar o pleito. O texto argumenta que a postergação do retorno presencial das aulas representa o aumento do abandono e da evasão escolar, o crescimento do índice de distorção idade-série e perdas pedagógicas, entre outras consequências.

Se o cronograma apresentado pelo Ministério da Saúde for cumprido, a previsão é de que os professores comecem a ser vacinados em meados de maio. Leite explicou que, sem uma concordância por parte do governo federal, o RS não pode decidir, sozinho, priorizar os professores em detrimento de outros profissionais ou pessoas do grupo prioritário. A ordem de vacinação dos grupos prioritários obedece aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Até o momento, o Rio Grande do Sul já recebeu 923,6 mil doses de vacinas, entre as quais a CoronaVac e a Oxford/AstraZeneca. Já foram aplicadas 594.765 (483.152 em primeira dose e 111.523 em segunda dose).

Secom

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Prisão ocorreu instantes depois de terem feito uma idosa de 80 anos de vítima

Ambos possuem extensa ficha criminal por furtos em veículos

Colorado entra em campo às 19h15min, no estádio Hernando Siles